Monday, June 3, 2013

Willa Cather

Sonnet

Alas, that June should come when thou didst go;
I think you passed each other on the way;
And seeing thee, the Summer loved thee so
That all her loveliness she gave away;
Her rare perfumes, in hawthorn boughs distilled,
Blushing, she in thy sweeter bosom left,
Thine arms with all her virgin roses filled,
Yet felt herself the richer for thy theft;
Beggared herself of morning for thine eyes,
Hung on the lips of every bird the tune,
Breathed on thy cheek her soft vermilion dyes,
And in thee set the singing heart of June.
And so, not only do I mourn thy flight,
But Summer conies despoiled of her delight.

- -
um soneto de Willa Cather, via writer's almanac (que nome vintage. há palavras vintage? pois há), com quem, confesso, tive um affair de meio ano, ou foi um ano. parei a dois livros da obra completa, seria? um soneto que não reflecte totalmente o calor do sol das pradarias do midwest nem as tempestades de neve. em português, que originalidade, o primeiro livro em português que aparece no wook é um livro sobre Willa Cather (na fnac pt então é o déluge). não temos definitivamente espírito de fronteira terrestre. também nos cursos de literatura americana portugueses não creio de Willa Cather seja incluída mas deus nos livre de esquecer kerouac.


seja como for: recomendo vivamente.

por acaso... um site exemplar e também vivamente recomendado (por mim). quem dera haver páginas destas com os nossos autores.

No comments:

 
Share