light gazing, ışığa bakmak

Sunday, August 16, 2009

os castelos de areia podem ser feitos de outro modo

podia ser um arquitecto mas não é porque não quer. podia ser constructor de castelos de areia mas a sua cidade é demasiado cinzenta e talvez nunca tenha visitado Pêra. se as imagens não têm palavras. acho que podem ter sempre, muitas vezes palavras tão construídas como as construções de Filip Dujardin, belga de Ghent. enfrentando o campo com corvos, não me apetece dizer nada. face as estas construções podia pescar muitas parábolas literárias, fantasias e simbologias como a referência às quimeras de Borges. o castelo de areia é mais infantil mas o peso é o mesmo ("I'm a sand castle purist.") as construções de toda a ficção científica. e outras para ir pensando nisso.

"But with this new series of images, Dujardin wasn't trying to subvert or parody his day job. In fact, he was so excited by the boundless inventiveness of contemporary architecture that he wanted to have a go himself – strictly in a virtual context, though. "That way, you have complete freedom, and there are no consequences for the real world – or for any real people living in the buildings!" says the 37-year-old. "It feels like I'm going back to my childhood, when I used to play with cardboard boxes. The only difference is that the buildings I create now are balancing on the thin line between reality and irreality: they're too abstract to be real, and on other hand they're too recognisable to be fictitious. That's what I try to achieve with every image."

Although Dujardin's work would be impossible without computer software, his methods are suprisingly tactile. "I start off by making a model of the building, often with my kids' Lego blocks. Then I photograph that maquette and use the resulting image as a kind of canvas." Pasted on to this canvas are hundreds of snippets from the photo archive on Dujardin's hard disk, which is divided into folders full of brick walls, glass doors, iron sheeting and so on. It's an incredibly time-consuming process. "You have to control every pixel of the structure. Even one mistake will spoil the effect." (from here)


o artigo todo, daqui.
gostei do Lego, gostei mesmo. também do SketchUp do google, que nunca tinha visto.






e a que preferi, talvez porque me faça lembrar a casa sem janelas do filme da autoestrada.

3 comments:

Anonymous said...

passada a impressão de estar a ver o Gehry a ter um dia mau ,comecei a gostar ,não é arquitectura ,ainda bem que não é .e ainda bem que é o que é ,seria o pesadelo da engenharia civil ,como devaneio artistico é admirável ,e gosto :))e ainda bem que a arquitectura e´um fenomeno recente (modernismo).tudo o resto por muito belo que seja para mim é outra coisa ,e´so´uma opinião que nem deve ter grande defesa ,é um devaneio opiniativo :))

Anonymous said...

também não posso deixar de pensar na sorte que a humanidade tem em aparecerem as pessoas certas para resolverem os problemas que a certa altura surgem e até mesmo do futuro .

a mesa de luz said...

arquitectura modernismo.. neste momento as almas dos egípcios estão aos saltos dentro das pirâmides :)

 
Share