a mesa de luz

light gazing, ışığa bakmak

Wednesday, February 22, 2017

Tuesday, February 21, 2017

Thursday, February 2, 2017

'and the skylight is like skin'

quantos anos tem o luto? chega.

Wednesday, February 1, 2017

voar com os pássaros e ver cores

Estou farta de não dizer nada. Está a chover e não há espaço para imagens. que sou críptica, talvez seja, acabou por ser um tique que passou a modo de vida por estar sempre aqui em exposição.

os comentadores comentam os Estados Unidos com olhos de Lisboa ou de ir passear a Paris. eu (nós) conhecemos e gostamos e somos ou éramos familiares de votantes em Trump e não têm três cabeças nem são snipers ou militares furiosos. sim, têm alguma arma em casa para se defenderem. a sua casa fica perto de um riacho que gela no inverno e do interior da casa não se vê nenhuma outra casa, só árvores e mato, por vezes veados. o quintal é só uma extensão verde, conforme as estações. branca, por vezes isolada e por onde é preciso lutar para obter passagem. lembro-me de a ver cheia de crianças, baloiços, trampolins e toda a espécie de bicicletas e triciclos.

o j. falou no Messiaen que gravou os pássaros. qualquer pessoa cuja obsessão sejam os pássaros me interessa, um interesse generalista. Messiaen significa muito mais do que os pássaros na minha vida, está gravado no meu passado de modo indelével e as horas que relembro agora foram perto de algo a que poderia chamar verdade.

falei em melancolia mas apenas me respondeu uma voz, a mais importante, a única que interessa neste momento.



o populismo... os miúdos com boas notas eram e são tão gozados como as pessoas consideradas elitistas. (não te preocupa que seja um lugar elitista?). não me preocupa nada, elitista nem o seu oposto. estamos todos aqui.

finalmente: quando me fazem ver cores (ahah Messiaen) e tantas mais coisas, uma total surpresa:




para cima e para baixo

cheguei a Aveiras com 50 km de gasolina, o carro mais recheado do que um ovo, e tinha deixado o multibanco em casa.

Thursday, January 26, 2017

Tuesday, January 24, 2017

está na hora

de alguma coisa.
afeiçoei-me à ficção de tal maneira que lhe tentei arranjar casamento.

Monday, January 23, 2017

I find

people who use my words... funny.

working music



ou o último álbum da Norah J.

a new skin for the old ceremony

“Death is always on the way, but the fact that you don't know when it will arrive seems to take away from the finiteness of life. It's that terrible precision that we hate so much. But because we don't know when we will die, we get to think of life as an inexhaustible well. Yet everything happens a certain number of times, and a very small number, really. How many more times will you remember a certain afternoon of your childhood, some afternoon that's so deeply a part of your being that you can't even conceive of your life without it? Perhaps four or five times more. Perhaps not even. How many more times will you watch the full moon rise? Perhaps twenty. And yet it all seems limitless.”

the sheltering sky.

new images coming soon.

Sunday, January 22, 2017

a istanbul possível











¿Qué es la vida? Un frenesí.
¿Qué es la vida? Una ilusión,
una sombra, una ficción,
y el mayor bien es pequeño;
que toda la vida es sueño,
y los sueños, sueños son.


a frase do título tem dono, não tão antigo como o dono dos sueños.

absurd days, impossible days, irracional conversations


André Carrilho's awesome


activist mommy

heck with it.

Friday, January 20, 2017

like a bird

on the wire...

Thursday, January 19, 2017

 
Share