light gazing, ışığa bakmak

Friday, March 21, 2008

Os 10 melhores livros ilustrados para crianças de 2007

A lista é do New York Times: Every Friday de Dan Yaccarino; Jabberwocky, ilustrado por Christopher Myers; The Arrival por Shaun Tan; First the Egg, ilustrado por Laura Vaccaro; Not a Box, ilustrado por Antoinette Portis; 600 Black Spots, ilustrado por David A. Carter; The Frog Who Wanted to See the Sea, ilustrado por Guy Billout; The Wall, ilustrated by Peter Sis; Old Penn Station, ilustrado por William Low; The Invention of Hugo Cabret, ilustrado por Brian Selznick.

De todos, tenho apenas The Arrival / Lá où vont nos pères, um livro muito bom, ainda por trazer ao blogue. O 600 Black Dots fez-me descobrir David A. Carter e os seus livros pop-up, muito bons, engenheiros do papel. A ter, definitivamente, o livro de Brian Selznick. A preto e branco, como gosto, tenho a certeza de já ter visto outras imagens deste ilustrador, não sei onde. Absolutamente apontado e sublinhado na lista de compras.







Um slideshow a ver, aqui.

""The Invention of Hugo Cabret," by Brian Selznick, is a more-than-500-page doorstopper, representing mutt fiction at its muttiest. The novel thrillingly blends elements of detective fiction, 19th-century orphan literature, story within a story, biography, graphic novel, comic strip, flip book, old black-and-white movie, and magic show. It is filled with the ticking of numerous machines, from automatons to movie projectors, from clocks to locks. It's a story about connections, dreams, loss, and art. It features one-eyed heroes, villains who smell "slightly of cabbages," and young pickpockets - and it all takes place in Paris."

Também no New York Times, aqui.

"The Invention of Hugo Cabret" ganhou também o prémio Caldecott 2007, atribuído ao melhor livro ilustrado para crianças. O seu público são crianças de 7/8 anos, mas não há limite de idade. E aqui, uma excelente, excelente review de Pedro Moura.

Em português é que ainda não, mas pode-se sempre comprar o "Emigrantes"/"The Arrival" de Shaun Tan por cerca de 22 euros, até porque recebeu o prémio europeu correspondente, o prémio de Fauve d'Or, de Angoulême. E porque é um livro muito bonito, para pequenos e graúdos. A editora é a Barbara Fiore Editora, de Espanha. Bastará ver o pequeno catálogo 2008 desta Editora para percebermos a diferença entre o mercado português e o espanhol. Digamos que o português não fica tão bem no retrato.

2 comments:

jorge vicente said...

o mercado português nunca fica muito bem no retrato...

VC said...

parece um livro excelente!

 
Share