light gazing, ışığa bakmak

Saturday, May 17, 2008

Sleuth: it's all about words. So what?





What are the chances, I mean really, what are the chances of having not only favorite but excellent actors, one of them the most beautiful man there is (forget about handsome), the best screenplay, the best man in film-theater, and favorite artist all in one? Sleuth filled the week, and I admit I will distrust anyone who dislikes this film, a rite of passage. ("Hello, nice to meet you, and by the way, did you see that film, Sleuth...")









Milo Tindle: I'm so glad you like my mind. Not many people like my mind. Quite a few people like my body... but i can't think of anyone who likes my mind.

homepage do filme
webisodes



Antony Gormley, Feeling Material XIV(2005)

Há filmes que ficam na memória, há filmes que espantam, há filmes de que gostamos muito, outros nada. Meço-os, como a quase tudo, pela distância, quando passadas muitas milhas de tempo me restam ainda rasgões de imagens, clarões (como este). Chega a acontecer haver filmes de que não gostei na altura e que me vêm à memória anos depois, uma imagem de repente no meio de outro contexto qualquer. Outros entusiasmam-me na altura e passada uma semana só já nem me recordo de os ver. Por razões óbvias não me recordo de exemplos.. É um critério tão válido como atirar os testes ao ar para ver quais caem em cima da cama. Sleuth é um filme inesquecível. Pelo texto, pelo trabalho excepcional dos dois actores, pelo cenário, pela intensidade, pelos jogos de palavras, pelo jogo puro e simples, pelo engano e pelo sorriso do Jude Law.

Quando entrei no cinema tinha lido já algumas críticas negativas; demasiado intelectual, teatral, sem acção, forçado. Hoje num lançamento de um livro em que vários autores liam poemas uns dos outros foi dito por um deles que a poesia não é para toda a gente pois a maior parte dos leitores são iletrados. A poesia, segundo ele, é para uma elite de quem a sabe ler. Dito assim, parece que não. Ou talvez sim.

"In this day and age, is marriage absolutely necessary? Isn't it a bit old-hat?"

6 comments:

Marta said...

É mesmo bom ver o mundo por outros olhos - deixarmo.nos guiar, ir em frente, e quando nos apetece, dar meia volta. Ainda ontem fomos com a sobrinha mais velha ver o Iron Man (depois de vermos um post com a sugestão da Isa - do Lost in Wonderland) e sem combinarmos demos por nós a esperar pelo fim do filme, para confirmar se ela tinha ou não razão. :)

Agora venha o Autópsia de um Crime, que promete tanto como a semana que se segue.

Beijinhos muito bem dispostos.

A Mesa de Luz said...

O Iron Man está prometido ao pai.. :))

Marta said...

E nem tu imaginas a quantidade de vezes que escrevi "Iron Mad" antes de finalmente conseguir emendar para "Man"... :D

A Mesa de Luz said...

Uma Mad nunca é de ferro... eh eh

uemeai said...

Tenho aqui os dois para ver, junto com la habitacion de fermat, mas só depois de acabar com a matemática... ou ela acabar comigo.
Beijos às duas

A Mesa de Luz said...

Boa matemática, afinal são tudo caracteres, os uns e os outros. beijinhos! Ana

 
Share