light gazing, ışığa bakmak

Wednesday, September 17, 2008

"Stellet Licht", of love and forgetting



Toda a dor se esquece, mesmo a que pensamos que não. Das mil e uma maneiras de olhar este filme que passou em flecha para a mesa dos favoritos, preferi esta. Pegar neste princípio e ver-lhe o engano. Se todas as dores se esquecem, os vasos partidos nunca deixam de o ser. Os meus, pelo menos, nunca mais voltaram a ter água.

É impossível ver este filme sem parar o nosso relógio e ficar a olhar para o reflexo dele. Não gostei da chamada de atenção para o reflexo, logo no início, mas vejo o sentido. Nenhuma cena sobra desse sentido, nenhuma imagem, nenhum som. E porque os momentos de cruzamento nesse nosso dia, entre estrelas, são muito poucos e quando os revemos é sempre em câmara lenta, este filme de Reygadas é sobre essenciais e nada mais. Lendo a sinopse pensei e assustei-me com a ideia de uma história religiosa, com o questionar da fé, da tradição e das demais questões que tradicionalmente se colocam. Enganei-me redondamente. A paisagem menonita é apenas o meio de limpar a história de acessórios que outro contexto ia forçar. Afinal pergunto-me: damos até onde. E ainda: alguma vez se conserta o que foi violado. Sem resposta ou dolorosa demais para ser dita.

Isto, logicamente, não é uma história, nem uma review, nem um resumo. Mais ainda dos meus monólogos com audiência, sabe-se lá porquê. Mais cedo na noite aprendi como se desenvolve o sentido de representação nas crianças. Da experiência pura, à tentativa de representação, ao simbolismo, à procura de realismo. Ficou por saber o princípio do sentido de estética. Voltando a Reygadas, aqui uma boa crítica. Aqui, outra. E eu fico-me apenas com a memória confusa. Nota final: obrigatório.

6 comments:

Ana T. said...

Boa noite Ana!
Eu também sou pelo Obama, ou como hoje me disseram pelo "Barraca Abana"...:)
Bjs
Vamos-nos lendo
Ana Tarouca

Anonymous said...

parece interessante

Anonymous said...

Há um filme interessante ," tesis " de Alejandro Amenábar,sobre os Snuff movies.Os Americanos fizeram um filme sobre os Snuff com o Nicholas Cage (mas não é tão interessante )....gosto do papel do Phoenix.

Anonymous said...

é um filme um bocado GLOOMY ,mas é para condizer

A Mesa de Luz said...

Olá Ana! Vamo-nos lendo, sem dúvida :) beijinhos grandes

A Mesa de Luz said...

olá anónimo. este filme não tem a ver com snuff, nem pela gloominess.

 
Share