light gazing, ışığa bakmak

Sunday, March 15, 2009

Akibiyori: de teor viciante muitíssimo elevado, e não mata

Os pickles de rebentos [especialidade de Ikaho] Eram deliciosos! À medida que envelhecemos vamos apreciando mais estas coisas. Sem dúvida. Algas marinhas, cenouras, cogumelos, rabanete seco, bolo de feijão. Bife de vaca e costoletas de porco?
...
A felicidade é algo muito difícil de definir nesta vida, não acha?


in "O Fim do Outono"
Yasujiro Ozu
::......

engraçado quando se descobre "estou na tv!" ou na revista ou na rádio. anda ver, é sempre um momento alegre quando se descobre que o nosso esforço é visto por alguém, tanto tentamos comunicar, uma palavra só faz a alegria ou a raiva [alô Porto]. um aparte. e outro: antes de ontem a primeira lagartixa, ontem a primeira osga. começa a estação quente. e outro: este é daqueles pedaços sem valor em que daqui a pouco, mais à frente, volto atrás e não encontro o fio. assim a engrenagem do que se passa dentro das nossas ruminações.

vi ontem à noite o filme "O Fim do Outono", Akibiyori, "Late Autumn" que me confundiu, de início. podia ter sido "O Gosto do Saké": mesmo cenário, exteriores semelhantes, actores que se repetiam, quase a mesma história. mas depois a narrativa toma um curso surpreendente. curioso como os mais minúsculos desvios podem mudar tudo, as sombras na cara das personagens. memorável o filme todo. recordo (e ainda a propósito dos objectos no cinema do Auster) o almoço entre mãe e filha e os pratos vermelhos em frente de cada uma delas. como a mãe afasta o seu prato, como o da filha fica lá no meio do ecrã, muito curioso. estes filmes podem ser vistos trinta vezes, número arbitrário, e há sempre mais a ver.



Também no Gosto do Saké e não sei em quantos outros filmes de Ozu, gostei da actriz Mariko Okada, uma Penélope japonesa, um turbilhão, uma senhora com 95 filmes no imdb.



Sobre o duplo lançamento destes filmes em Portugal, dizia aqui há um ano João Lopes: "Ironicamente ou não, O Gosto do Saké é, neste momento, em Portugal, um dos grandes acontecimentos cinematográficos. ", para ler, aqui. Pelo Sound & Vision, fiquei também a saber deste livro, Ozu and the Poetics of cinema, aqui para ler integralmente (.pdf, 400MB), um tesouro inesperado.

2 comments:

lemon said...

Dear Ana,
I can not read your posts but I have a look at them. I recognized that magnificent actor of many Ozu films.
We are film lovers, me and my boyfriend, and like much Japanese films.
About Ozu: Oh, every scene in his films, isnt it as a picture, nicely framed, to cut and look at it for hours?
Not to tell about the politeness of the plays...
(Nice to have met you!)

a mesa de luz said...

Just for you Lemon (thanks for the comment!) :)
Last night I watched the film "Late Autumn" that got me confused at first. It could have been "The Taste of Sake": same set, similar exteriors, same actors, almost the same story. but then the narrative takes a surprising route. funny how the smallest detours can change everything on character's faces. the whole film is memorable. I recall (still thinking of objects on Auster's films - Auster's reference to films in his book Man in the Dark) the scene of the lunch between mother and daugther and the red plates placed in front of them. as the mother puts her plate aside and the daughter's stays there, int the center of the screen, very interesting. these films can be seen thirty times, an arbitrary number, and there's always much more to see.
Also from the Taste of Sake and in I don't know how many of Ozu's films, i liked the actress Mariko Osada, a Japanese Penelope (Cruz), a storm, a lady with 95 films in imdb.
sorry for the hasty translation..
Greetings!!
:))

 
Share