light gazing, ışığa bakmak

Sunday, December 26, 2010

portentosa



não só ela, como a história a contar e como foi contada. já nem saboreando o sabor doce e intenso e quente dos couscous. (mulheres, cozinha, família, o social, minorias, spices, sarcasmo, racismo, exclusão, povo, o Magreb, e estou lá, caída que nem um patinho).

aqui e aqui.

2 comments:

Luis Serpa said...

Fiquei bastante desiludido com o filme, Ana: uma narrativa primária, linear, apoiada em dezenas de clichés. Pouco mais.

a mesa de luz said...

sério? sim, claro, tem todos os clichés, que me apanharam, e não é nenhum Kiarostami, mas mesmo assim gostei bastante, acima de tudo pela mudança de ponto de vista. pena pena foi não deixarem a receita do couscous (uma pessoa à espera da revelação do segredo... ). Aproveito para desejar Boas Festas!

 
Share