Monday, January 19, 2015

andando, Koreeda Hirokazu (still walking)

"I think the reason we compare Koreeda to Ozu is because his cinema tastes like Ozu’s. When we leave his films we experience a similar aftertaste, which is to say, a deeper sense of life. " daqui.





de certo modo, uma sequência curiosa da vida quotidiana, a americana em Holt, a japonesa neste filme de 2008 de Hirokasu Kore-Eda e ainda, andando para trás no meu próprio tempo, Winter Sleep de Ceylan. se lembra Ozu, mas seria impossível existirem cenas de interiores e familiares no Japão sem que a ocidente se pense em Ozu, mestre do indizível humano.

cada um nos seus olhos, mas o realizador que os consegue ver claramente a cada um. a literatura também é assim, difere o meio, primeiro está sempre ver.

(“To see is to forget the name of the thing one sees.” Paul Valéry)

No comments:

 
Share