Saturday, August 20, 2016

de Lisboa com o coração longe (o Bairro do Avillez)








quanto ao Avillez estou ainda traumatizada com a má experiência e vai ser preciso algum tempo para me esquecer dela e lá voltar. bem sei que era o segundo (!!) dia mas também sei que circulam tretas sobre o "soft opening" que agora está na moda apregoar. qual soft opening, o local estava a abarrotar de quem queria comer, incluindo eu, sem conseguir. na sala das tapas havia uma pequena fila que teve de esperar muito tempo por qualquer assistência (desisti), na sala grande (que bonita), e apesar de eu ver com os meus olhos que metade das mesas estavam vazias, disseram-me que não me podiam aceitar porque estava gente de mais e não conseguiriam atingir a qualidade desejada (!!). só pode ser a brincar, não? eu a sair frustrada e a Júlia Pinheiro a entrar rodeada de 3 empregados do espaço, os mesmos que deixaram a fila de gente sem resposta, I guess. quem ganhou: nós afinal, com um belo bife e bacalhau à brás na Trindade ali ao lado.

No comments:

 
Share