Tuesday, October 11, 2016

chamo-me outono (Attila İlhan)


Adım Sonbahar
Attila İlhan

nasıl iş bu
her yanına çiçek yağmış
erik ağacının
ışık içinde yüzüyor
neresinden baksan
gözlerin kamaşır

oysa ben akşam olmuşum
yapraklarım dökülüyor
usul usul
adım sonbahar

- -
My name is Autumn

how can this happen
flowers poured down all around
of the plum tree
swimming in the light
wherever you look
your eyes are dezzled

however, I turn into evening
my leaves are falling
slowly and softly
my name is autumn




apesar de desconhecido neste canto da Europa, foi (e é) uma figura importante no seu país: poeta, escritor, argumentista, crítico e socialista. na juventude, foi preso três semanas por enviar um poema de um poeta proibido a uma rapariga, - que longa tradição, a turca. hoje os dias andam semelhantes naquele país e o aniversário da sua morte é evocado por todos os que não ousam dizer mais nada, um nome de código para a liberdade.

hoje também ouvi sobre os finalistas do prémio Sakarov atribuído pela União Europeia a quem se tenha distinguido pela causa da liberdade. um deles é Can Dündar, um jornalista turco que foi preso por ter revelado as negociatas da família do presidente turco com armas para a guerra da Síria, actualmente vive no exílio depois de ter sobrevivido uma tentativa de assassinato, Dündar era o editor chefe do principal jornal da oposição.

"Le Prix Nobel de littérature Orhan Pamuk, dont le nouveau roman paraît demain en Turquie, a profité d'un entretien promotionnel pour accuser l'Europe de complaisance vis-à-vis de son pays, alors que deux journalistes d'opposition ont été condamnés à la prison à vie."
um artigo de Fevereiro.


No comments:

 
Share